“PAPIRUS em nova fase - em nova temporada - ALÉM DO PRINCÍPIO DO PRAZER
BLOG - STEER RH CONTATO













 01/02/2007 a 28/02/2007
 01/01/2007 a 31/01/2007
 01/07/2006 a 31/07/2006
 01/03/2006 a 31/03/2006
 01/02/2006 a 28/02/2006
 01/01/2006 a 31/01/2006
 01/12/2005 a 31/12/2005
 01/11/2005 a 30/11/2005
 01/10/2005 a 31/10/2005
 01/09/2005 a 30/09/2005
 01/08/2005 a 31/08/2005
 01/07/2005 a 31/07/2005
 01/06/2005 a 30/06/2005
 01/05/2005 a 31/05/2005
 01/04/2005 a 30/04/2005
 01/03/2005 a 31/03/2005
 01/02/2005 a 28/02/2005
 01/01/2005 a 31/01/2005
 01/12/2004 a 31/12/2004
 01/11/2004 a 30/11/2004
 01/10/2004 a 31/10/2004
 01/09/2004 a 30/09/2004
 01/08/2004 a 31/08/2004
 01/07/2004 a 31/07/2004
 01/06/2004 a 30/06/2004
 01/05/2004 a 31/05/2004
 01/04/2004 a 30/04/2004


 Dê uma nota



Mais além do Princípio do Prazer
 Em .A. aprecio e daí, atrevo-me
 Absorvendo mim Mesmo
 Anti-Marmotagem
 Aquarela das Cores
 Em .B. bailo ao bel-prazer
 Botequim Poético
 Breves Histórias Cotidianas
 Em .C. cadencio em movimentos
 Celebreiros
 Em .D. desejo em desmensura
 De Gaulle Tinha Razão
 Dígito
 Em .E. efervecente emoção
 Ensaios do Eu
 Escucha me Porra
 E tenho dito
 Eterno Amor de Platão
 Em .F. farto-me da fome
 Feita em Versos
 Em .G. garimpo gozos
 Grande Onda
 Giramundo (...) Girassol
 Em .H. de haver faço harmonia
 Em .I. me inspiro com impudor
 Em .J. faço jus
 Em .L. latejo em labirintos
 Em .M. descubro outros matizes
 Mamas e Tramas
 Marcelo Brettas
 Moacir Caetano
 Monolito
 Mude
 Muiraquitã
 Em .N. norteio o que vinga
 Neurotóxicos e Chuvas Esparsas
 No Problem
 No Lado Escuro da Lua
 Em .O. observo o oculto e ouso
 Em .P. percorro-me em paixão
 Patrícia Costa
 Pérolas de Pérola
 Primícias Poéticas
 Em .Q. alimento meu querer
 Em .R. reedito o risco
 RevelAções
 Revelando Segredos
 Em .S. saboreio e me sincronizo
 Sabor de Gente
 Semeando Palavras
 Sem Pé Nem Cabeça
 Shilolo
 Em .T. tesão, textura e talento
 Textura
 Troca Letras
 Em .U. me umideço e ultrapasso
 Em .V. valorizo e verborrageio
 Vergonha dos Pés
 Véu de Maya
 Vida como uma Rosa
 Em .W. viro wildiana
 White Star
 Em .X. xereteio
 Em .Z. zanzo em zás-tras
 
 FOTO RABISCOS
 Ady Morena
 Kele Santana
 Moacir Caetano I
 Moacir Caetano II
 Moacir Caetano III







ALÉM DO PRINCÍPIO DO PRAZER
 

ESTRIBILHO

Pessoinha nada sumária sou eu. Gostaria de saber ser resumida, mas para expressar um ponto, já começo com uma vírgula, um conjunto de reticências seguido de um ponto e vírgula, daí abro brecha para dois pontos e «senta que lá vem história». De um único sentimento, publico um estribilho.

(Não) falo coisa com coisa e, estribilho - bordão de eu sem sentido.



 Rabiscado por Decca às 10h21 [] [envie este rabisco]


ESGOTANDO

Não esgotei o amor.

Esgotei as desculpas tolas que inventava para que o telefonema parecesse casual. Já não convenciam a mim. Tamanha ingenuidade achar que o efeito em ti seria outro.

Hoje, cartas e mais cartas não seladas, transbordam a gaveta da cômoda e eu, ridiculamente romântica, sigo vazando-me em palavras piegas para ver se consumo todo o desejo tolo de ligar-te com uma desculpa ingênua qualquer.  

Repito-me para ver se, gastando-te aqui, se esvai de mim.



 Rabiscado por Decca às 11h14 [] [envie este rabisco]


PROJETOS

Hoje amanheci fazendo planos para o futuro:

 

“Amá-lo um pouco menos”

(eu e meus planos sem metas em curto prazo)



 Rabiscado por Decca às 08h37 [] [envie este rabisco]


RECADO INTERNO

Arranquei as últimas tiras de roupa.

Só não arranquei a sua lembrança no corpo.

Não me culpe (eu tentei), mas a pele insiste em sangrar cada vez que raspo você.

Parece que agora me acostumo à ferida e sei que retiro a casca, toda a vez que há a ameaça de cicatrizar, como se assim esperasse você voltar.



 Rabiscado por Decca às 09h16 [] [envie este rabisco]


VENTANIA

Hoje ouvi o vento enquanto a tempestade caia.

Ao longe,

                                             o seu lamento.

.

.

.

Ainda insiste nessa distância fugidia?



 Rabiscado por Decca às 19h14 [] [envie este rabisco]


RESISTÊNCIA

Tem uma moça que está morando em mim.

Pela destreza que caminha pelas partes, imagino que chegou há dias.

Abre portas trancafiadas como se tivessem chaves.

Desavisada, a moça percorre espaços que não se devem entrar.

É preciso que alguém diga a ela que há mistérios em algum lugar.

É preciso que alguém diga a ela que está na hora de parar.



 Rabiscado por Decca às 22h39 [] [envie este rabisco]