“PAPIRUS em nova fase - em nova temporada - ALÉM DO PRINCÍPIO DO PRAZER
BLOG - STEER RH CONTATO













 01/02/2007 a 28/02/2007
 01/01/2007 a 31/01/2007
 01/07/2006 a 31/07/2006
 01/03/2006 a 31/03/2006
 01/02/2006 a 28/02/2006
 01/01/2006 a 31/01/2006
 01/12/2005 a 31/12/2005
 01/11/2005 a 30/11/2005
 01/10/2005 a 31/10/2005
 01/09/2005 a 30/09/2005
 01/08/2005 a 31/08/2005
 01/07/2005 a 31/07/2005
 01/06/2005 a 30/06/2005
 01/05/2005 a 31/05/2005
 01/04/2005 a 30/04/2005
 01/03/2005 a 31/03/2005
 01/02/2005 a 28/02/2005
 01/01/2005 a 31/01/2005
 01/12/2004 a 31/12/2004
 01/11/2004 a 30/11/2004
 01/10/2004 a 31/10/2004
 01/09/2004 a 30/09/2004
 01/08/2004 a 31/08/2004
 01/07/2004 a 31/07/2004
 01/06/2004 a 30/06/2004
 01/05/2004 a 31/05/2004
 01/04/2004 a 30/04/2004


 Dê uma nota



Mais além do Princípio do Prazer
 Em .A. aprecio e daí, atrevo-me
 Absorvendo mim Mesmo
 Anti-Marmotagem
 Aquarela das Cores
 Em .B. bailo ao bel-prazer
 Botequim Poético
 Breves Histórias Cotidianas
 Em .C. cadencio em movimentos
 Celebreiros
 Em .D. desejo em desmensura
 De Gaulle Tinha Razão
 Dígito
 Em .E. efervecente emoção
 Ensaios do Eu
 Escucha me Porra
 E tenho dito
 Eterno Amor de Platão
 Em .F. farto-me da fome
 Feita em Versos
 Em .G. garimpo gozos
 Grande Onda
 Giramundo (...) Girassol
 Em .H. de haver faço harmonia
 Em .I. me inspiro com impudor
 Em .J. faço jus
 Em .L. latejo em labirintos
 Em .M. descubro outros matizes
 Mamas e Tramas
 Marcelo Brettas
 Moacir Caetano
 Monolito
 Mude
 Muiraquitã
 Em .N. norteio o que vinga
 Neurotóxicos e Chuvas Esparsas
 No Problem
 No Lado Escuro da Lua
 Em .O. observo o oculto e ouso
 Em .P. percorro-me em paixão
 Patrícia Costa
 Pérolas de Pérola
 Primícias Poéticas
 Em .Q. alimento meu querer
 Em .R. reedito o risco
 RevelAções
 Revelando Segredos
 Em .S. saboreio e me sincronizo
 Sabor de Gente
 Semeando Palavras
 Sem Pé Nem Cabeça
 Shilolo
 Em .T. tesão, textura e talento
 Textura
 Troca Letras
 Em .U. me umideço e ultrapasso
 Em .V. valorizo e verborrageio
 Vergonha dos Pés
 Véu de Maya
 Vida como uma Rosa
 Em .W. viro wildiana
 White Star
 Em .X. xereteio
 Em .Z. zanzo em zás-tras
 
 FOTO RABISCOS
 Ady Morena
 Kele Santana
 Moacir Caetano I
 Moacir Caetano II
 Moacir Caetano III







ALÉM DO PRINCÍPIO DO PRAZER
 

MAGIA

O Espírito de Natal, a Rena do Nariz Vermelho, o Papai Noel e o Salvador, dezembro é assim, mês embebido em magia. Desconfio de que a Mary Poppins, o Peter Pan, o Coelho da Páscoa e as Fadas Madrinhas que, se não nasceram em dezembro, ao menos foram concebidos em meio a essa magia. E num telefonema mágico, o Lucca, o meu sobrinho mais velho, ligou para pedir, pela primeira vez, o presente para o bom velhinho. No primeiro timbre de voz, disse: "ahhhhh, não é o Papai Noel, é o 'sosô'", e desligou com a garantia do avô, de que o Papai Noel ainda ligaria para ele. Quis tentar, me preparei, vesti o bocal do telefone com uma meia de algodão, fiz um canudinho com a minha mão, apoiei-a sobre o bocal coberto, engrossei e ralentei a voz e, preparada, disquei o número. Minha cunhada atendeu e ouviu um sonoro: "Ho ho hoho! É da casa do Lucca? Ele está?". Do outro lado, ouvia ao longe os gritos pela casa: "Lucca, tem alguém ao telefone com uma voz bem grossa, querendo falar com você!". O pequeno foi ao telefone, disse: "Alô!" e bastando as primeiras sílabas, gritou surpreso: "É o Papai Noel!", pediu o que queria, ouviu atento as recomendações do bom velhinho e, apesar das controvérsias, garantiu que não desobedeceu a seus pais, que não bateu, não brigou e nem mordeu o seu irmãozinho, que tem comido tudinho e só feito bons hábitos (acho que Papai Noel entende e perdoa essas inocentes mentirinhas e defesas em causa própria). Liguei em seguida, disfarçada de "tia Déia", e o baixinho me contou que o Papai Noel havia ligado para ele, que tinha a voz de bonzinho e que ele, Lucca, havia ficado muito emocionado. É,... dezembro é um mês mágico, com certeza... E eu, que ainda outro dia escrevia cartinhas para o Papai Noel, ainda hoje, escolho acreditar no bom velhinho. Por certo que escolher acreditar em Papai Noel não é tão delicioso como, simplesmente, acreditar, mas essa é a minha escolha,... eu escolho acreditar e, em acreditando, sopro um pouco de magia para dentro de mim.

 

 

FELIZ NATAL!!

Ho Ho Ho Hohoho!!!!

 



 Rabiscado por Decca às 10h05 [] [envie este rabisco]


ROMPENDO O LACRE

Tomou entre os dedos a bainha da blusa e ergueu-a deixando os seios e todo o dorso descoberto. Sem baixar os olhos, direção que sabiam de cor, enroscou o dedo médio na lateral direita da fina calcinha de algodão e empurrou, numa certeza incerta, a peça íntima em direção aos pés. Enquanto se desvencilhava do tecido, erguendo uma perna e, deslizando a maciez pela extensão da outra, lembrava do momento em que descartou a embalagem que envolvia a lâmina e, decidida, começara a se raspar. Levou certo tempo, mas retirara todos os pêlos que poderiam disfarçar ou proteger a sua pele. Deixou expostos seus umidificados lábios, e mesmo o filete estreito de pêlos negros, retirara sem pudor. Aproveitando da disponibilidade da lâmina, cortou os longos cabelos, rente a nuca, como se tesourasse cada escudo ou estratégia de ‘irrevelar-se’ e, despira-se do que não era. Parou alguns minutos, nua, em frente à janela, lugar onde jamais havia sido tão ela. Não sabia dizer por quantas horas pareceu permanecer ali, fitando cada olho que passava e desviava, e ela prosseguia, corajosamente. Despir-se das expectativas de outrem, causava repúdio a qualquer um, menos a ela. Não era orgulho e sequer provocação, era ela, apenas sendo. Estava mais gorda, sabia, desde que já há algum tempo tinha menos carinho dos outros, e então precisava ter mais de si e acumulava-se como se fosse uma certa reserva para os dias de carência. Chegara os tais dias, e era preciso consumir-se. Sem a embalagem, bastava romper o lacre e assim o fez.



 Rabiscado por Decca às 20h08 [] [envie este rabisco]


CURVA DO "S"

Daqui do alto, olhando para o asfalto, vejo três pistas em uma curva em "S". Mais adiante a curva se estica, vira uma reta e nesse espreguiçar da curva, encontra-se, majestoso, um poste na calçada, solitário e único. Mas as madrugadas de solidão do poste se findam quando um automóvel o encontra. A mim não faz o menor sentido, pois a reta que veio nascendo desde lá detrás, está ali e já não há mais a curva. Mas mesmo não entendendo como, os carros encontram o poste. Essa madrugada, por exemplo, um automóvel encontrou o poste, que nem sempre aceita o automóvel e essa noite, como de costume, não o aceitou, e ele voltou, virou e parou na contramão da reta. O sujeitinho saiu do carro, cambaleante, estonteado pela batida ou bebida ou pela batida bebida, sentou na calçada e chorou o encontro e a rejeição do poste e o lastimável estado do veículo. Nenhum dos três, sujeitinho, poste e automóvel, saiu ileso e sem as marcas desse encontro. Mas há todo um entorno que coloca certa graça na situação e garante o meu voyeurismo. A poucos metros antes do poste, pouco depois onde inicia a reta, há moradores de uma casa que trabalham, arduamente, toda vez que há desses encontros. Desconfio que eles já tenham a mão um "kit-batida" (café, torradas, biscoitinho salgado e doce,...) e toda uma logística apropriada para a situação. Organizam-se, rapidamente, colocam cones no 'S' da curva, verificam os sujeitinhos, ouvem seus lamentos, contam os lamentos que ouviram na madrugada passada e nas anteriores, e só desacionam o "kit-batida" quando partem, o resgate, o guincho e os carros de polícia. Mas ontem, eles não foram tão hábeis e eficazes, e de mais agilidade, foram os góticos que saiam de uma nova casa noturna que fica pelas imediações. Os sujeitinhos de preto, correram e foram até o 'S' da curva sinalizar e solicitar calma, aos outros automóveis, para que não houvesse um novo acidente. Acho que, verdadeiramente, essa era a intenção, mas ao invés dos gestos sugerirem menor velocidade, assustavam, pois os meninos abanavam os braços no alto da cabeça e pulavam no mesmo ritmo acelerado e com intenso vigor, talvez ainda por certa influência do "bate-estaca" que ouviam há pouco. Já os carros que se aproximavam, diante de tal movimentação e, temendo ou achando o gesto suspeito, freavam, bruscamente, por pouco não atropelando os meninos e depois, temendo um assalto, transpunham fugindo pela pista lateral e passavam por cima dos inúmeros obstáculos que dividem as três pistas na curva do "S", aos quais chamo, meigamente, de tartaruguinhas. Apesar da cena hilária, cansei e escolhi dormir. Talvez na próxima madrugada um outro carro encontre a solidão do poste e quem sabe eu entenda o porquê do encontro, justamente, no ponto onde a curva espreguiça e vira reta.



 Rabiscado por Decca às 12h13 [] [envie este rabisco]


A ESTRELA

Ainda ontem, toquei uma Estrela, ela me disse que seu nome é Amigo, mas eu sei que é uma Estrela, somente elas trazem em si, os olhos azuis da cor do céu embebidos em raios de sol e ‘bebericados’ de nostalgia, e lá estava eu, e por lá, eu me aquecia. Para os que nunca tocaram uma Estrela, elas possuem mãos e logo após, os braços. Há um mecanismo sem igual para o aconchego quando ambos se fecham e te encostam junto ao peito, acolhem e por ali,... descansa-se por horas. Amigo! Hummm,... tá bom! Sei que é Estrela! Essa era a escolhida, desde sempre, para os lamentos, as alegrias e os sonhos, principalmente, os sonhos, não sonhos quaisquer. Não! Sonhos mágicos, essenciais e encantados, e que de tão encantados, viram sonhos que podem ser realizados. Essa Estrela banhava os ombros em minhas lágrimas e me dizia, mesmo em silêncio, o quanto eu significava. Essa! Essa era a Estrela especial e esteve por lá o tempo todo, distante, sabendo de mim e me contando dela. Ainda ontem toquei uma Estrela. Chorei, me emocionei. Ela me disse que é um Amigo, eu já sabia, desde sempre e sabendo também que é uma Estrela.



 Rabiscado por Decca às 23h02 [] [envie este rabisco]


AGRADECENDO AS PARTICIPAÇÕES

Obrigada pelas participações,... e resultado "se auto" diz:

[Decca][http://papirus.zip.net]

Me vira do avesso, me arranha

marca-me hoje, me assanha,

deslize as mãos ávidas em gestos mundanos

suga-me voraz entre os sussurros profanos.

[Decca][http://papirus.zip.net]

Suga-me voraz entre sussurros profanos

vista-os com palavras sacanas, despudoradamente,

na mente, remonte a lascívia embebida em impulsos vadios

excita-me, numa língua inexata, a cavidade insana.

 

 

[Fejones][http://escuchameporra.blogspot.com]
Excita-me, numa língua inexata, a cavidade insana

Uma língua selvagem, me faz animal,
                      [me faz puro instinto, me leva à loucura

Uma língua fria, me arde, me queima,
                      [uma língua de fogo, me leva ao Inferno

Me leva ao prazer, me leva a viver

 

[gel] [http://www.pontogel.weblogger.terra.com.br]

Excita-me, numa língua inexata, a cavidade insana

me ama, me chama, grita por mim, sussura comigo.

respira ofegante, galante, me lambe à vontade e jura que é meu.

me toma no colo, me invade inteira e me faz ver estrelas
                                                              [onde antes só havia o breu.



 Rabiscado por Decca às 10h18 [] [envie este rabisco]


CONTINUA,...

[Jahba][www.monolito.blogs.sapo.pt]
Excita-me, numa língua inexata, a cavidade insana
E desenha em tua perna um dragão com meu líquido quente
Remonte a paixão, que eu lhe dou um beijo na fronte
E em resposta, condessa, eu só quero que você me monte

[M.] [http://mxyzpltk.zip.net/]
Excita-me, numa língua inexata, a cavidade insana
me chama fitando-me com tesão
usa tuas mãos, dedos e me toca
sufoca essa vontade orgásmica, cósmica...

[JP] [http://umacoisadecadavez.zip.net]
Excita-me, numa língua inexata, a cavidade insana
idioma voluptuoso das paixões infernais
a sensação de estar entrando em você
esperma, gozo, nos confortam, mais e mais...

[Somalier][www.somalier.zip.net]
Excita-me, numa língua inexata, a cavidade insana

Provoca-me, toca-me, chupa-me cada centimetro do meu ser

Meu membro rígido combina com minha cara de sacana

Juntos, loucos, desfrutando momentos de prazer

[Lú][quero-amar-sempre.zip.net]
(Juntos, loucos,) desfrutando momentos de prazer...
isso ao seu lado se torna o ápice da vida,

corpos suados, querendo transportar para as mãos

o bater de dois corações acelerados...

 

[Moacir Caetano][http://moacircaetano.blog.uol.com.br]
O bater de dois corações acelerados

celerados se unem os dois pecadores

a carne se funde ao som do orgasmo

o suor encharca os cobertores...



 Rabiscado por Decca às 10h17 [] [envie este rabisco]


...E, FINALIZANDO,...

[Marina] [http://miscelania_by_marina.zip.net]
Toma meu corpo e unge com sua saliva...

[Feli] [http://www.absorvendomimmesmo.weblogger.terra.com.br/]
Na terra dos espelhos, a altura se perdeu,

se perdeu a profundidade, e se foi a idéia imaculada de estar só,

enquanto se ama, se foi a idéia de estar só...  

[Nadiejo] [http://desalinhado.zip.net]
Descobri que vc me fez algo...


[sem pé nem cabeça] [www.naotemjuizo.blogger.com.br/]
Descobri que vc me fez algo...

que posso chamar de todos os nomes...

contento-me agora chamá-lo de gozo...

...de prazer que acendes em mim...

 

[Marcelo] [http://mbrettas.blog.com.br/]
De prazer que acendes em mim...

o desprazer que ascende de mim...

o mim que acende o fogo do prazer...
o fim que reside em todo o meu ser...
 

[Menina Poesia] [http://duaspalavras.blog.uol.com.br/]
O fim que reside em todo o meu ser
é o início do mais louco querer
língua dançando em ponta a melodia
da garganta rasgando a música vadia



 Rabiscado por Decca às 10h17 [] [envie este rabisco]


EXCITA-ME, NUMA LÍNGUA INEXATA, A CAVIDADE INSANA

A idéia é uma "cópia adaptada para blogs", a partir de uma proposta em uma comunidade no ORKUT (Poesias Eróticas), e que requer participações. Para isso, a seguir, as explicações:

 

Há uma "quadrinha" e do último verso, nasce outra "quadrinha", que do seu último, nasce outra, e assim por diante,...

 

Como, por exemplo, assim:

 

Me vira do avesso, me arranha

marca-me hoje, me assanha,

deslize as mãos ávidas em gestos mundanos

suga-me voraz entre os sussurros profanos.


Suga-me voraz entre sussurros profanos

vista-os com palavras sacanas, despudoradamente,

na mente, remonte a lascívia embebida em impulsos vadios

excita-me, numa língua inexata, a cavidade insana.

 

Agora,... a sua vez,... 

se aposse do último verso e rabisque a sua "quadrinha",...



 Rabiscado por Decca às 22h39 [] [envie este rabisco]


VEM

 

Vem...

E reensine aos meus pés o caminho do chão...

 

Vem...

E coloque-os de novo no ar e me reensine a sonhar....

 

Vem...

 

VEM!

 

...

 



 Rabiscado por Decca às 08h27 [] [envie este rabisco]


MOÎRA AS AVESSAS



 Rabiscado por Decca às 09h16 [] [envie este rabisco]